Aprender a aprender

Voltar

Realize sua tarefa abaixo, não há necessidade de colocar seu nome, saberemos pelo histórico da página.

Reflita: o que você compreende? qual aprendizagem podemos ter da situação apresentada no vídeo? já vivenciou alguma experiência desse tipo? qual (quais)? É possível aprender sem experienciar? como?

Atividade 6 "aprender a aprender"

Podemos entender como se dá o processo de ensinar o outro a aprender. Primeiramente se provoca através da sedução de uma trabalho realizado, então a partir desse ponto o aluno se sente motivado a querer aprender, porém esquece para chegar a perfeição precisa passar por um processo de construção, que muitas ou quase todas as vezes é necessário a repetição, repetição e repetição em suas fases.Assim passa
os momentos árduos e espinhosos do aprendizado , e até chegar o momento deleitoso do amar aprender a aprender.
O mestre precisa ter sabedoria para ajudar seu aluno a passar por essas fases, compreendendo as dificuldades, mas não facilitando e sim ajudando-o a encontrar formas de obter sucesso com motivação e amor.
Já vivenciei muitos momentos de ensinar e aprender, mas nunca um como esse no vídeo.Refletindo melhor sobre isso, a única resposta que tenho é talvez porque nosso tempo é curto e os conteúdos são extensos com um calendário apertado, dificulte um pouco.
Trazendo ao nosso contexto, o vídeo é um ótimo exemplo da construção do conhecimento que tanto se fala na educação atual, o conhecimento não é entregue pronto, é adquirido gradativamente, ao término de inúmeras tentativas de erros e acertos. O mestre-poteiro exerce o papel do professor do futuro, que não deve ser mais aquele que detém o conhecimento, e sim, o que permite que o educando aprenda trilhando seu próprio caminho, o mediador. Ele não mostra o caminho já percorrido, mas acompanha-o enquanto ele percorre o seu caminho.
O professor precisa acreditar na capacidade e potencialidades dos alunos. Enquanto mediador deve instigá-lo, tirando dele o saber interiorizado trazido do meio no qual o aluno esta inserido, aliando ao que sabe fazer por si só e o que é possível conseguir através da sua intervenção. O erro não pode ser esquecido, ele deve ser considerado e valorizado no processo de ensino-aprendizagem.
É preciso tornar prazeroso o ato de compreender, descobrir, construir e reconstruir o conhecimento para que ele seja permanente, que se mantenha através do tempo, que valorize a curiosidade, a autonomia e a atenção. Também é necessário pensar o novo, reconstruir o velho, reinventar o pensar.Precisamos ser capazes de desenvolver nossas percepções sobre quais são os nossos desejos, motivações, vontades, necessidades, e a partir daí obtermos métodos para entendermos o que antes não era entendido.

Atividade 6 - "A aminação "Aprender a aprender" e os quatro pilares da educação da UNESCO: Uma intertextualidade possível"
Prof. Eduardo martins

Inicialmente me lembrei dos quatro pilares da educação proposto pela Unesco. Neste documento o órgão ligado à educação da ONU Apresenta a seguinte metodologia pedagógica e diz que: Aprender a aprender foi desdobrado pela UNESCO nas quatro aprendizagens a serem perseguidas no século XXI: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver, aprender a ser.
O século XXI é o da democratização do acesso à educação em nível básico e superior.
Desta feita procurei construir uma intertextualidade entre os quatro saberes e o vídeo.
Inicialmente nossos personagens centrais, apresentados por uma criança e um Meste que se preparam para o processo de ensino e aprendizagem - APRENDER A CONHECER - na qual o Mestre localiza, acessa, seleciona, processa, relaciona, organiza e significa a informação.
Depois o Mestre propõe APRENDER A FAZER - na qual ele reúne suas competências profissionais; efetuar a transposição didática do conhecimento de um saber resignificando seu conteúdo. Propõe que o aprendiz faça, muitas vezes, até acertar. Contextualiza sua arte, utiliza diversos recursos. por fim domina toda a estrutura do próprio ensinamento, se apresenta como um ser mágico.
Num terceiro momento o Mestre deverá APRENDER A CONVIVER - ao passar pelas experiências anteriores tal Mestre constituiu competências para tal. Nesse ponto o próprio Mestre participa de atividades interativas e partilha do seu conhecimento.
O quarto e último item proposto pela UNESCO para o aprender a aprender se refere a APRENDER A SER - esse aspecto exige a competência de avaliar o curso e seu desempenho, formulando propostas de desenvolvimento profissional para si mesmo. Faz uma auto-avaliação, por fim, identifica recursos e fontes aos quais deverá recorrer para executar essa proposta.

Diante do acima exposto posso afirmar que tanto a animação quanto o texto da UNESCO. São ferramentas úteis e necessárias para que o Mestre reflita acerca do seu fazer pedagógico. Os quatro pilares nos estimula e até mesmo nos desafia a APRENDER, assim como o Mestre de ofícios apresentado no vídeo de animação.
Desta feita concluo que com a aprendizagem dos quatro pilares da educação o processo de ensino e aprendizagem, tal qual num vídeo de animação pode parecer que o MESTRE é um mago, um Mágico ou até mesmo um ser mítico devido à facilidade com que ele ensina e a criança aprende.
Disponível em: [[http://www.mh.etc.br/blog/desenvolvimento-organizacional/os-quatro-pilares-da-educacao-segundo-a-unesco]] Acesso em 29/10/2015.

Podemos dizer com o video que nunca poderemos desistir, só com a persistência que chegaremos ao nosso objetivo. O menino no video após 30 ou mais tentativas conseguiu chegar ao objetivo que é a construção do vaso, depois que construiu o vaso passou a fazer algo a mais. Hoje assistindo o video me senti como menino onde minhas dificuldades de escrita, estou neste curso tentando e vou tentar varias vezes, e até o final do curso farei algo a mais. Muitos que começou essa jornadas vão desistir mas quem ficar será os que irão fazer o algo a mais.
“Determinação coragem e auto confiança são fatores decisivos para o sucesso. Se estamos possuídos por uma inabalável determinação conseguiremos superá-los. Independentemente das circunstâncias devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho.” Dalai Lama

De acordo com o vídeo, verifiquei que o aluno despertou para o novo e buscou querer experimentar com o Mestre.É importante destacar este despertar, pois vejo que no processo de ensino e aprendizagem o aluno precisa querer aprender e este querer não vem só da motivação do professor e, sim, deve partir do aluno. Vejo que o aprendizado acontece à medida que o querer for maior que sua dificuldade. Certamente, o mestre é parte fundamental neste processo, pois o mesmo mostrará o caminho e instigará o aluno na construção do conhecimento. Ainda no vídeo, observei que o mestre instigou o aprendiz para que fizesse o vaso e várias foram as tentativas para chegar na etapa final. O processo não foi rápido, aconteceu de forma gradativa e a personagem teve persistência, motivação e confiança. Em relação ao conteúdo não é diferente, muitos alunos assimilam o conteúdo com mais facilidade que o outro, mas a escola, hoje, não dá suporte para atender este aluno conforme o desenvolvimento de suas habilidades e competências. Nesse sentido, vejo que o sistema educacional deve proporcionar ao aluno o aprendizado de forma personalizado, pois o aprendizado não acontece no mesmo ritmo e forma.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License