Grupo 2 Resenha 3

Uso Pedagógico de Celulares: Análise de Estratégias Pedagógicas

images?q=tbn:ANd9GcR2lmOz6CmDXO2_2BgsbepRS3kcYnKXaRT-kS1ZFkgwZ-QN-nlsWw

Os autores objetivam, por meio deste artigo, analisar possibilidades pedagógicas do uso de celulares dos próprios alunos em atividades educacionais.É inegável que o uso dos aparelhos celulares hoje é um recurso riquíssimo de informação e mídia que, se bem utilizados tornam-se um grande aliado para desenvolver práticas educativas mais dinâmicas.
Sempre foi muito comum a falta de recursos tecnológicos nas escolas, nas turmas de Cálculo em uma instituição federal. Eles adotam como pressuposto teórico os estudos de Sharples (2009) que busca analisar como as tecnologias móveis podem contribuir para a aprendizagem. Sharples (2009) afirma que o mobile-learning (m-learning) trata-se de uma área de conhecimento que estuda como a mobilidade dos alunos, favorecida pela tecnologia pessoal e pública, pode contribuir para o processo de aquisição de novos conhecimentos, habilidades e experiências.
Segundo Uden (2007) a Teoria da Atividade permite analisar as ações com m-learnig que podem influenciar a aprendizagem, além de possibilitar mediação e colaboração. A TA se fundamenta em diferenciar três conceitos como atividade, ação e operação.
Quando na discussão dos dados analisados os autores afirmam vantagens pedagógicas com o uso do celular pontuadas como: facilidade em investigações sobre conceitos abordados proporcionando reflexões individuais e em grupos; possibilidade quanto ao discente ser mais ativo em sua aprendizagem, melhorando assim sua relação com a disciplina; e rendimento do tempo.
No texto alguns fatores chamaram a minha atenção. Uma delas é atualidade do texto. Atualidade no tempo (2012) e no contexto: os dispositivos móveis na educação. Desconhecia esse plugin que permite a interação entre o Moodle e o celular. Na minha perspectiva a dificuldade estava na comunicação da Matemática, que tem simbologia específica, mesmo que se exclua a geometria euclidiana do processo. As autoras apontaram para essa possibilidade de interação, para a possibilidade de trabalhar Matemática no m-learning. Cabe destacar ainda a diferenciação entre atividade de ação: uma específica, exigindo a mobilização do corpo ou parte de ele, e outra de caráter mais amplo envolvendo, principalmente, a subjetividade. Uma ação é a parte visível da atividade, é a resposta do corpo a uma necessidade criada pelo desejo, pela motivo que a justifica.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License