Grupo 4 Resenha 3

BATISTA, Silvia Cristina Freitas; BEHAR, Patricia Alejandra; PASSERINO, Liliana Maria.Uso Pedagógico de Celulares: análise de estratégias pedagógicas. Campinas: Endipe/Unicamp, 2012.

O presente artigo analisa estratégias pedagógicas envolvendo o uso dos celulares utilizadas em dois estudos de caso promovidos em turmas de Cálculo I de uma instituição federal.
Adota a visão de Sharples et al (2009) que considera a era atual como a da mobilidade pessoal e tecnológica em que tem-se a oportunidade de conceber a aprendizagem de forma diferente. Apresenta os princípios básicos da Teoria da Atividade e suas contribuições para a área de m-learning, descreve as estratégias adotadas nos estudos de caso, discute os dados obtidos e tece considerações finais sobre o trabalho.
O foco da Teoria da Atividade (TA), está nas atividades que os indivíduos desenvolvem e nas relações diversas que decorrem destas. Atividades são "[…] processos que, realizando as relações do homem com o mundo, satisfazem uma necessidade especial correspondente a ele" (LEONTIEV, 2001, P.68).
De acordo com as autoras é necessário considerar os aspectos relacionados a m-learning, nesse novo modelo de sociedade em que a tecnologia avança a cada dia, e o ambiente educacional muitas vezes fica aquém dessa evolução. É notório que uma das principais barreiras que a metodologia de educar pela pesquisa enfrenta em nossas escolas é a formação do professor. A maioria dos professores foram formados em suas disciplinas de atuação obedecendo a conteúdos prontos, aprendendo apenas o suficiente para fazer suas provas. Para sanar ou minimizar essas barreiras, o professor deve primeiramente criar hábitos de estudos e pesquisas para se expressar de maneira fundamentada, refazer o seu material didático para que haja inovação em sua prática. Sendo pesquisador, o próprio professor instigará seus alunos a serem pesquisadores. O professor deve aproveitar os conhecimentos que o aluno traz de fora e deixar que eles reconstruam a partir do que já existe.
A possibilidade de utilização do celular no ambiente educacional, permiti ao aluno acessar em qualquer lugar e em qualquer hora o vasto volume de informações necessárias para o processo de aprendizagem, mas é importante considerar que há também neste contexto, alunos com dispositivos móveis de última geração, e outros em que o dispositivo restringe o acesso a alguns aplicativos, e este é um fator de suma importância no momento em que este recurso é potencializado no processo de ensino aprendizagem, pois se a metodologia não for bem analisada e viabilizada pode ocorrer o processo de exclusão, desta forma indo contra a finalidade do m-learning.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License